segunda-feira, 23 de novembro de 2020  15:32

Rentabilidade setembro e outubro




Resultado setembro/2020 

O mês de setembro foi novamente marcado pelas preocupações quanto ao cumprimento do teto de gastos por parte do governo. Essas tensões foram intensificadas com o anúncio do Programa Renda Cidadã (substituição ao Renda Família), agora com a proposta de ser financiado por fontes que, no entender do mercado, representariam o abandono do rigor fiscal, ou seja, do controle de gastos do governo. Some-se a isso, o deságio no papel de dívida pública, chamado LFT – tido como o mais seguro, o mais conservador para investimentos. Esse fenômeno não se via desde 2002. O problema não foi exatamente uma “fuga” dos investidores desse tipo de papel, o que demonstraria uma desconfiança. O que ocorreu foi que o Tesouro tentou vender mais títulos (quantidade) do que o mercado queria comprar – resultando em deságio (o mercado exigiu um prêmio para comprar esses títulos). Resultado de tudo isso: a Bolsa caiu quase 5% e o real se desvalorizou. Os fundos exclusivos da Bungeprev, para segmento o segmento de renda fixa, renderam 0,10 e -0,37%, respectivamente por Nova York (gestor BNP) e Independence (gestor Western). O maior impacto foi na parte aplicada em ações, cujos fundos apresentaram performances negativas: -8,03% pelo Phoenix-Itaú e -7,68% pelo fundo Moat. No segmento de fundos Multimercado não foi diferente, pois os fundos que temos cotas encerraram setembro com -0,12% (fundo SPX Nimitz) e -0,85% (fundo Kinea). Com tudo isso, o resultado global da Bungeprev em setembro foi negativo em 1,37%.

Previsão resultado outubro/2020 (Não é Cota Oficial. Ainda está sujeito a alterações)

Outubro continuou apresentando os impactos nos mercados em razão das preocupações gerais quanto ao afrouxamento fiscal do Governo. Some-se a isso a chamada “segunda onda” da pandemia – especialmente na Europa e Estados Unidos – que acabou também trazendo efeitos negativos, como mais um elemento de risco. Na renda fixa, o fundo do BNP apresentou bom retorno positivo de 0,20%, comparativamente à Selic de 0,16%. Já o fundo administrado pela Western mostrou-se ligeiramente negativo em -0,03%. Os fundos do segmento multimercado também mostraram comportamento díspares: enquanto o fundo Kinea teve uma performance negativa de   -0,22%, o fundo SPX registrou ganho de 1,44%. Por fim,  os segmento de maior risco e volatidade – renda varável – nossos investimentos nos fundos Phoenix e Moat nos deram retornos negativos respectivamente de -4,17% e -1,91%. Assim, nossa expectativa é de obtermos um resultado geral, consolidado, de -0,29% em outubro.

Autor: Bungeprev

Fonte: .